terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Quando nasce um bebê

Tirado do Facebook da minha amiga eterna do coração, Mariana. Muito lindo o texto, assim como tudo que ela escreve e tudo o que ela é!

"Dizem: quando nasce um bebê, nasce uma mãe também. E um polvo. Nasce uma fábrica de cafuné. E principalmente: nasce a fada do beijo. Quando nasce um bebê, nasce também o medo da morte - mães não se conformam em deixar o mundo sem encaminhar devidamente um filho. Não pense você que ao se tornar mãe uma mulher abandona todas as mulheres que já foi um dia. Bobagem. Ganha mais mulheres em si mesma. Com seus desejos, aumentam sua audácia, sua garra, seus poderes. Se já era impossível, cuidado: ela vira muitas. Também não me venha imaginar mães como seres delicados e frágeis. Mães são fogo, ninguém segura. Se antes eram incapazes de matar um mosquito, adquirem uma fúria inédita. Montam guarda ao lado de suas crias, capazes de matar tudo o que zumbir perto delas: pernilongos, lagartas, leões, gente. Mães não têm tempo para o ensaio: estreiam a peça no susto. Aprendem a pilotar o avião em pleno voo. Cobrem seus filhos com o cobertor que lhes falta. E, não raro, depois de fazerem o impossível, acreditam que poderiam ter feito melhor... Mente quem diz que mãe sente menos dor - pelo contrário! Ela apenas aprende a deixar sua dor para outra hora. Atira o seu choro no chão para ir acalentar o do filho. Nas horas vagas, dorme. Abastece a casa. Trabalha. E, quando tem tempo pra chorar - cadê? -, passou. A mãe então aproveita que a casa está calma e vai recolher os brinquedos da sala. Como esse menino cresceu, ela pensa, a caminho do quarto do filho. Termina o dia exausta, sentada no chão da sala, acompanhada de um sorriso besta. Já os filhos, ah Filhos fazem a mãe voltar os olhos para coisas que não importavam antes... Mães são mulheres ressuscitadas. Filhos as rejuvenescem... Quando nasce um bebê, nasce uma empreiteira. Capaz de cavar a estrada quando não há caminho, só para poder indicar: É por ali, filho, naquela direção."

- Autoria: Cris Guerra

2 comentários:

Cris Guerra disse...

Infelizmente sua amiga não creditou o texto. Ele é de minha autoria:

http://vejabh.abril.com.br/edicoes/muitas-cris-guerra-782216.shtml

Se puder colocar essa informação, agradeço muito.

Um abraço carinhoso,

Cris Guerra.

Nina disse...

Crédito feito! ;)

Seu Apoio Juridico

Medicina em Foco - últimas postagens