sexta-feira, 25 de agosto de 2006

Frases do dia

Life is a big comic book for cats, other animals and humans in that order.

Dogs have owners. Cats have staff.

quarta-feira, 23 de agosto de 2006

Como manter um amor?

Uma mãe e a sua filha estavam caminhando pela praia.
Chegando em certo ponto e a menina questionou:
- Como se faz para manter um amor?
A mãe olhou para a filha e respondeu:
- Pega num pouco de areia e fecha a mão com força...
A menina assim fez e reparou que quanto mais forte apertava a areia com a mão com mais velocidade a areia se escapava, dizendo à sua mãe:
- Mamãe, assim a areia cai!
- Eu sei, agora abra completamente a sua mão...
A menina assim fez, mas veio um vento forte e levou consigo a areia que restava em sua mão.
- Assim também não consigo mantê-la na minha mão!
A mãe, sempre a sorrir disse-lhe:
- Agora pega outra vez num pouco de areia e mantenha a mão semi-aberta como se fosse uma colher... Bastante fechada para protegê-la e bastante aberta para lhe dar liberdade.
A menina experimenta fazer isto e logo percebe que a areia não escapa da sua mão, sendo protegida do vento. A mãe então lhe diz:
- É assim que se faz durar um amor... Se você quer muito alguma coisa, deixe-a livre. Se ela voltar será sua para sempre. Se não é porque nunca foi sua de verdade.

segunda-feira, 14 de agosto de 2006

A Lição da Borboleta

"Um dia, uma pequena abertura apareceu num casulo; um homem sentou e observou a borboleta por várias horas, conforme ela se esforçava para fazer com que seu corpo passasse através daquele pequeno buraco.
Então pareceu que ela havia parado de fazer qualquer progresso.
Parecia que ela tinha ido o mais longe que podia, e não conseguia ir mais.
Então o homem decidiu ajudar a borboleta: ele pegou uma tesoura e cortou o restante do casulo. A borboleta então saiu facilmente.
Mas seu corpo estava murcho e era pequeno e tinha as asas amassadas
O homem continuou a observá-la, porque ele esperava que, a qualquer momento, as asas dela se abrissem e esticassem para serem capazes de suportar o corpo que iria se afirmar a tempo.
Nada aconteceu! Na verdade, a borboleta passou o resto de sua vida rastejando com um corpo murcho e asas encolhidas. Ela nunca foi capaz de voar.
O que o homem, em sua gentileza e vontade de ajudar não compreendia, era que o casulo apertado e o esforço necessário à borboleta para passar através da pequena abertura era o modo pelo qual Deus fazia com que o fluído do corpo da borboleta fosse para as suas asas, de forma que ela estaria pronta para voar uma vez que estivesse livre do casulo.
Algumas vezes, o esforço é justamente o que precisamos em nossa vida.
Se Deus nos permitisse passar através de nossas vidas sem quaisquer obstáculos, ele nos deixaria aleijados. Nós não iríamos ser tão fortes como poderíamos ter sido. Nós nunca poderíamos voar."

terça-feira, 8 de agosto de 2006

Esplendorosa!!

As borboletas são insetos da ordem Lepidoptera classificados nas super-famílias Hesperioidea e Papilionoidea, que constituem o grupo informal Rhopalocera.
As borboletas têm dois pares de asas membranosas cobertas de escamas e peças bucais adaptadas a sucção. Distinguem-se das traças pelas antenas retilíneas que terminam numa bola, pelos hábitos de vida diurnos, pela metamorfose que decorre dentro de uma crisálida rígida e pelo abdome fino e alongado. Quando em repouso, as borboletas dobram as suas asas para cima.
A borboleta é um símbolo da humanidade frágil e da vaidade e da brevidade da vida. Este inseto delicado pode até ser destruído com uma chuva forte. A delicada borboleta representa a mulher, a inconstância, o outono, a alegria, a beleza, a vida, a imortalidade e o novo recomeçar.
Com o tempo, você vai percebendo que para ser feliz com uma outra pessoa, você precisa, em primeiro lugar, não precisar dela. Percebe também que aquele cara que você ama (ou acha que ama) e que não quer nada com você, definitivamente, não é o homem da sua vida. Você aprende a gostar de você, a cuidar de você e, principalmente, a gostar de quem também gosta de você. O segredo é não correr atrás das borboletas...é cuidar do jardim para que elas venham até você. No final das contas, você vai achar, não quem você estava procurando, mas quem estava procurando por você!

Namoro sem beijo não dá

Chega uma hora que você olha para o seu(sua) parceiro(a) e não sente mais atração, não tem vontade de beijar. O convívio vai dando ao casal uma intimidade familiar, onde não cabe muita sensualidade.
Você ama sua mulher, você ama seu namorado, mas a paixão não está mais lá. O que fazer?
Será que está tudo acabado, será que vocês viraram "irmãozinhos"?
A rotina faz isso. A gente perde a sensibilidade quando o estímulo é repetitivo. Por isso mesmo algo precisa ser feito. Você tinha tesão por sua namorada por que ela representava um mistério. Você queria desvendálo, queria conhecê-a melhor. Mas agora que vocês se vêm a toda hora, dá a impressão que não tem mais novidade nenhuma.
Para recuperar o tesão, cada um dos parceiros precisa estar sempre "se chacoalhando", fazendo coisas novas, inventando moda. Assim você surpreende o outro, você traz para a relação elementos novos, conta histórias.
Viajar também pode ser muito bom. Você muda de ares, se experimenta noutro lugar. Dá a impressão de que vocês são um novo casal. Além disso, se você vai para perto da natureza, pode se abastecer de energia vital e isso faz uma grande diferença na hora do namoro. Você já percebeu que quando vai para a praia fica mais excitado(a)?
Dedicar-se à arte também é um bom caminho. A expressão artística amplia sua vida, colore sua existência. E você pode compartilhar suas criações com seu(sua) parceiro(a). Isso aproxima o casal.
Às vezes, uma boa briga, lavando a roupa suja, é o que o casal precisa para voltar a sentir o amor. Tocar em assuntos complicados traz à tona muitos sentimentos que estavam amortecidos. São muitos os ressentimentos que ficam mal resolvidos e isso mina o namoro. Depois de uma explosão, quando os dois falam tudo o que estava guardado dentro do peito, a energia volta a circular e é bem provável que depois disso vocês tenham um encontro que há tempo não tinham.
Observe um casal brigando. No auge da discussão dizem que vão se separar e daqui a pouco já estão juntos como nos velhos tempos. O que aconteceu? Com a possibilidade de separar-se cada um pôde se sentir de novo como um indivíduo. Saíram do nós. E conseguiram ver o outro de novo como alguém que provoca desejo.
Mas, quer ver algo que realmente faz a diferença? - a meditação. Quando meditamos, fazemos uma verdadeira faxina na alma. A sensibilidade vem à flor da pele e assim o beijo volta a fazer sentido. E a vida fica muito melhor. Se o casal coloca a meditação nas suas vidas, o namoro pode ser recuperado mais facilmente. É possível meditar no beijo, entregando-se novamente. Vale a pena, mesmo porque, namoro sem beijo é como macarronada sem queijo.

quinta-feira, 3 de agosto de 2006

Pré poesia

Seu Apoio Juridico

Medicina em Foco - últimas postagens