sexta-feira, 6 de março de 2009

Pirata

Quando eu tinha 3 anos, ganhei o Pirata.
Cachorrinho lindo! Vira-lata, claro, prá não fugir à regra. Nos fizemos muito felizes, eu a ele e ele a mim. Infelizmente a vida do cachorro é mais curta que a nossa e ele se foi quando eu tinha 21 e ele 18. Sim, ele até viveu bastante!! Posso até dizer que fomos criados juntos, melhores amigos!
Lembro de quando ele era novinho e escapava prá rua. E sempre voltou inteirinho..! Às vezes apanhava de alguns pedestres, outras, valente como sempre foi, mostrava todas as suas garras... Como todo cachorro vira-latas ele foi sim muito judiado na sua vida de boêmio adolescente, o que lhe deixou uma marca: no fundo dos seus olhos ele era amedrontado. Tinha a melhor comida, a melhor sombra, agua fresca e cafuné. Não tenho duvidas de que ele foi muito feliz!! Mas era amedrontado.
Ele me deu muitas lições de vida e vai sempre ter a melhor das lembranças no meu coração!
Mesmo depois do fim de sua vidinha, me trouxe mais uma conclusão: acho que, no fundo dos meus olhos, nós sempre fomos muito parecidos...

2 comentários:

Mayuí Becker disse...

O Pirata era cego de um olho ? Porque se for, pode estar aí a explicação do medo no fundo do seu olhinho...

Já pensou se ele perdesse o único olho que ele podia ver o mundo ? Tinha mesmo que ter medo.

Se ele não era cego, o medo poderia ser de várias outras coisas...talvez de ver as coisas com outros olhos...

Mas se eram parecidos, você pode responder. Conhecemos a frente dessa história...qual será o verso ?

Um beijo na sua dúvida !

Anônimo disse...

adoro o teu blog, muito interessante... take care. bj

Seu Apoio Juridico

Medicina em Foco - últimas postagens