domingo, 7 de maio de 2006

Ouça, por favor

Quando peço para você me ouvir e você começa a me dar conselhos, não está fazendo o que eu pedi.
Quando peço para você me ouvir e você começa a me dizer por que eu não deveria me sentir assim, está ferindo meus sentimentos.
Quando peço para você me ouvir e você acha que precisa fazer alguma coisa para resolver o meu problema, você não me ajudou, por mais estranho que pareça.
Não fale nem faça - apenas ouça.
Conselhos são baratos. Com pouco dinheiro, você compra uma revista, um jornal ou um livro cheios de conselhos. E isso eu posso fazer por conta própria. Não sou incapaz.
Talvez me desanime e hesite com frequência, mas não sou incapaz.
Quando você faz por mim alguma coisa que eu posso e preciso fazer por conta própria, você contribui para o meu medo e a minha insegurança.
Mas, quando você aceita como um fato natural que eu sinta o que sinto, por mais irracional que seja, aí eu não preciso me preocupar em convencer você e posso entender o que está por trás desse sentimento irracional.
E, quando isso estiver claro, as respostas serão óbvias e não precisarei de conselhos.
Sentimentos irracionais fazem sentido quando entendemos o que está por trás deles.
Talvez seja por isso que rezar funciona às vezes para algumas pessoas - porque Deus é mudo e não dá conselhos, nem tenta consertar as coisas. Deus apenas ouve e deixa você descobrir as coisas por conta própria.
Então, por favor, apenas ouça, apenas ouça.
E se quiser falar, espere um pouco a sua vez - e eu ouvirei você.

- Do livro: Histórias para aquecer o coração dos adolescentes -

2 comentários:

Anônimo disse...

Docinho!!! estou do seu lado, viu!... sempre!!!... pronta e disposta a te ouvir em qualquer ocasião ou circunstância... "cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é!"...
Te amo, amiga!
Bijinhos,
Florzinha!!!

Mariana disse...

Td bem q ñ era pra ser "anônimo"... mas vc sabe q computação, definitivamente, ñ é meu forte, né, Ká! hahahahaha
:*

Seu Apoio Juridico

Medicina em Foco - últimas postagens