quinta-feira, 1 de novembro de 2007

Estranho amor

Um amor pode trazer muitos sorrisos para os nossos dias. Mas muitas vezes nos faz chorar... De alegria, de saudade, de querer bem. Hoje vim aqui falar sobre esse sentimento tão louco, intenso e bonito que é o amor. Mas não confunda aquele que te faz chorar com o que te faz sofrer!
Será que esse amor que nos faz sofrer impiedosamente pode ser chamado de amor? Ou uma paixão inconseqüente? O amor verdadeiro tem companheirismo, cumplicidade, respeito, consideração. Em uma paixão, ou outro sentimento que possa ser confundido, faltam alguns desses pontos. Não vou dizer aqui que a paixão não é gostosa. É uma delicia sentir aquele bando de borboletas batendo asinhas no nosso estomago! Mas se ela não estiver acompanhada do amor, daquelas qualidades únicas que eu falei agora a pouco, mais cedo ou mais tarde acaba. E então pode ser que não seja de uma boa maneira...
Nós sabemos o que sentimos, mas não o que o outro sente. E quem nos garante que não há uma confusão de sentimentos? Por esse e por outros motivos, a gente nunca pode dar mais importância pro outro que para nós mesmos. Sempre a gente em primeiro lugar e pronto! Se nos esquecermos disso e levarmos um pezão daqueles... ahh... a gente fica sem chão. E acha que não vai se levantar nunca mais! Por isso digo que o nosso chão tem que ser nós mesmas. Seremos sempre aquela pessoa que nunca nos deixará na mão. Ninguém deve amar outro mais que a si próprio. O nosso maior erro é se apoiar totalmente no outro quando estamos apaixonadas. Podemos sim viver uma grande paixão. E eu ainda acredito em amor pra vida toda! Se ame, coloque-se sempre a frente de tudo. Ceticismo à parte, entenda aqui os mais religiosos que eu me refiro às coisas terrenas! Não é uma idéia egoísta, acredite! Se a gente não se amar mais, quem mais irá?
O parceiro nos admira pela força, pelo amor a nós mesmos, e vice-versa. Cuide-se: fisicamente, espiritualmente e profissionalmente. Mas nunca mesmo se esqueça que nosso maior alicerce somos nós. E temos que cultivar isso. Engana-se aquela que se entrega cegamente. Mantenha sempre o seu pezinho atrás como um mecanismo de auto-proteção, de auto-promoção. Com o tempo e com os tombos da vida, você descobrirá como isso é verdadeiro...
Se você estiver passando por um momento difícil, desses de “dor-de-cotovelo” mesmo, lembre-se de uma coisa: partir pra outra pode ser mais fácil do que você imagina! A decepção nos dá forças inimagináveis. Triste aquela que tem o coração de pedra, que não sente. Então, permita-se ficar triste e chorar para desabafar. Mas não se esqueça que depois de toda tempestade vem a calmaria. E você tem que estar linda e bela para poder curtir o sol! ;-)

0 comentários:

Seu Apoio Juridico

Medicina em Foco - últimas postagens